• Instituto Dialogare

Afinal, como a música dialoga com você? Quais músicas, canções marcaram a sua história?

[...] É por ela nos ser assim tão inata que não podemos jamais silenciar a música, como não podemos impedir nosso coração de bater; e é também por essa razão que a música é tão universal e tem o estranho e ilimitado poder de uma força natural. (WOOLF,2014, p.31, grifo nosso)

A música está presente em nossas vidas em todos os momentos, nos diferentes contextos que estamos inseridos, seja em casa, em uma festa, até nos mercados e nos restaurantes. Existem os mais variados estilos musicais, que se encaixam em diversos momentos do nosso cotidiano, existe aquela música que nos ajuda a dormir, que nos faz dançar, meditar, música para animar o dia, ou diminuir o ritmo. Para a ciência, não há dúvidas de que a música tem um impacto nas emoções, no comportamento, e até na nossa saúde, abordada pela musicoterapia. Quando tocamos um instrumento ou ouvimos alguma gravação, diversas áreas do cérebro são instigadas.

O autor Oliver Sacks, neurologista aborda o tema em seu livro:

Na maioria das vezes a música tem efeitos benéficos mesmo quando extraída da memória musical ou da imagem musical. Em praticamente todos os relatos de Oliver Sacks os entrecruzamentos entre história, memória e música aparecem – mesmo que sub-reptícios – como uma equação diretamente ligada ao cérebro, à consciência e ao estado de ânimo. Seria pertinente pensar, contudo, em domínios isolados entre a música e o cérebro, e entre a história e a memória musical como um elo. (MONTEIRO,2007, p.215, grifo nosso)

Existem pelo menos três datas que comemoram o dia da música. Em 21 de junho de 1982, houve uma manifestação musical na França, dando início à comemoração da data. Conhecido como Fête de laMusique, o evento foi fomentado pelo Ministério da Cultura francês e se espalhou pela Europa e depois para outros continentes. A ideia era incentivar a música como arte e cultura e levar a música para as ruas.

No dia 01 de outubro também é comemorado o dia da música, e a escolha dessa data para a comemoração partiu de uma iniciativa da UNESCO, em 1975, através da A International Music Council – uma organização não-governamental, fundada em 1949. O objetivo foi o de promover a paz e a amizade entre os povos com o auxílio da música. Há também um decreto federal de fevereiro de 1932 que determina que o dia 22 de novembro seja comemorado como o “Dia da Música e dos Músicos” aqui no Brasil. A data foi solicitada pelo Diretório Acadêmico do Instituto Nacional de Música, com o apoio do diretor e professores do mesmo Instituto, das diversas associações musicais e de outros centros de cultura do país.

A música como um elo e sistêmico, a música para quem teve perda auditiva, é inclusiva pois a música é pura vibração. Nos momentos em vivência grupal no Instituto Dialogare, buscamos contemplar as diversas musicalidades nos espaços de encontro, como por exemplo, realizar uma atividade com adolescentes e listar a sua música preferida, assim cada um pode compartilhar diversos ritmos, proporcionado uma interação de escuta e conhecendo o outro. Além de auxiliar nos momentos informais, de convivência entre as pessoas, é possível também, utilizar da música para conversar sobre algum tema. Através da música podemos perceber gostos, costumes, subjetividade. Ela traduz sentimentos, para cada pessoa que escuta há um sentido. (FREITAS, NUNES, PAULA, SOUZA, 2015, p.03)

Afinal, o que a música representa para você? Quais músicas, canções marcaram a sua história?


FONTES:


FREITAS, Ana Claudia de, LANA,Ana Tânia, NUNES,Kevne de Souza, PAULA, Maryelen Fernanda de, FRAGA, Poliana Emília, SOUZA,Vineusa Lopes de. A CONTRIBUIÇÃO DA MÚSICA NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. v. 7 n. 1 (2015): PEDAGOGIA EM AÇÃO.Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/pedagogiacao/article/view/11038#:~:text=Explica%20como%20a%20musicaliza%C3%A7%C3%A3o%20pode,facilitadora%20do%20processo%20de%20aprendizagem> Acesso em: 18 jun 2020.

MONTEIRO, Maurício. SACKS, Oliver. Alucinações Musicais. Relatos Sobre a Música e o Cérebro. Revista de História 157 (2º semestre de 2007). Disponível em;<http://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/64666>. Acesso em: 18 jun 2020

WOOLF, Virginia. O valor do riso e outros ensaios: Virginia Woolf. Tradução e organização: Leonardo Froés. Primeira edição, São Paulo: Cosac Naify, 2014.

Gostou do conteúdo? Não esqueça de se inscrever no (COM)TEXTOS!

12 visualizações
  • Facebook
  • Instagram

(12) 9 9657 9481

Rua Major Oliveira Borges, nº 200, sala 06. Lorena - SP

logo dialogare.png